Diabetes tipo 2

Diabetes é quando temos os níveis de glicose no sangue elevados devido a uma secreção de insulina insuficiente. Em outros casos, a insulina secretada não estar desempenhando o papel dele corretamente. O papel da insulina é o de facilitar a entrada da glicose dentros das células e assim a mesma vai fornecer energia para o nosso corpo.

Há vários tipos de diabetes, mas o mais frequente é o tipo 2. Ele acomete 90% dos casos da doença e é associado a uma predisposição genética que se expressa pela capacidade limitada de produzir a insulina, hormônio fabricado pelo pâncreas e responsável pelo controle dos níveis sanguíneos de açúcar (glicose). Apesar da predisposição, essas pessoas podem, sim, passar a vida inteira sem desenvolver a doença, se tiverem um estilo de vida que mantenha o organismo sensível aos efeitos da insulina, permitindo que o açúcar permaneça normal apesar de sua capacidade relativamente baixa de secretar o hormônio ou, em alguns, casos, por meio de medicações. Ou seja, o diabetes tipo 2, pode, sim, ser prevenido por meio do estilo de vida.

A Sociedade Brasileira de Diabetes estima em aproximadamente 12 milhões o número de portadores de diabetes tipo 2 existentes hoje no país. Em 2035, esse número deverá aumentar para 19,2 milhões. Um agravante é que os sintomas clássicos da doença (sede excessiva, aumento do volume urinário etc.) aparecem apenas quando os níveis de açúcar estão muito altos (acima de 250 mg), os quais podem levar vários anos para ser atingidos. Assim, o diabetes tipo 2 é basicamente uma doença de evolução silenciosa, o que explica o fato de apenas 50% dos pacientes existentes estarem diagnosticados. Além disso, dos diagnosticados, apenas 60% estão sendo tratados e, dos que estão em tratamento, apenas 30% estão com a doença bem controlada.

O risco de desenvolver as complicações do diabetes está ligado ao período de tempo que o açúcar permanece em nível elevado, e não ao fato de sintomas estarem presentes. No Brasil, cerca de 20% dos pacientes já têm algum grau de complicação no momento do diagnóstico.
 

Se você tiver:

– Mais de 18 anos;
– Ter Diabetes tipo 2 diagnosticado;

Inscreva-se para participar como voluntário no estudo clínico do CPclin sobre Diabetes Tipo 2 e colaborar para o avanço da medicina com novas opções de tratamentos
e medicamentos desta doença.

Scroll Up