7 Dúvidas comuns sobre Gordura no Fígado

A esteatose hepática, também conhecida como gordura no fígado, é um problema comum, que pode surgir em qualquer fase da vida, mas que ocorre, principalmente, em pessoas com mais de 50 anos.

Em geral, ela não causa sintomas e pode ter diversas causas, sendo que as mais comuns são o consumo de bebidas alcoólicas em excesso e alterações metabólicas, como obesidade abdominal, diabetes e resistência à insulina, e, por isso, o seu tratamento é feito com alterações na dieta, prática de atividade física e controle de doenças como diabetes e colesterol alto.

Entretanto, se não for controlada, ou se desenvolver um grau avançado, pode ser grave e trazer riscos ao funcionamento correto do fígado. Veja a seguir as principais dúvidas em relação a este problema.

1. A gordura no fígado é perigosa?

Sim, pois, geralmente, ela é silenciosa, e se não forem tomados os devidos cuidados, recomendados pelo médico, ela pode evoluir e causar uma inflamação mais grave no fígado, o que com o passar dos anos aumenta as chances de desenvolver cirrose e insuficiência do órgão. 

2. Pessoas magras podem ter gordura no fígado?

Sim, esse problema pode surgir mesmo em pessoas magras, principalmente naquelas que não fazem uma alimentação saudável ou que têm problemas como diabetes e colesterol alto.

Além disso, perder muito peso rapidamente também pode causar gordura no fígado devido às alterações que ocorrem no metabolismo, especialmente em pessoas que fizeram cirurgia de redução do estômago.

7 Dúvidas comuns sobre Gordura no Fígado

3. Quais são as causas da gordura no fígado?

Os principais fatores que aumentam o risco para desenvolver a gordura no fígado são consumo de bebidas alcoólicas em excesso, obesidade, diabetes tipo 2, resistência à insulina, colesterol alto, ter mais que 50 anos, desnutrição, uso de remédios como glicocorticóides, e doenças do fígado, como hepatite crônica e doença de Wilson.

4. É normal ter gordura no fígado e não sentir sintomas.

Verdade. Normalmente esse problema só causa sintomas nas fases mais avançadas, quando o fígado já não consegue funcionar direito. Veja os sintomas aqui.

Assim, é normal o paciente descobrir esta doença apenas quando vai fazer exame de sangue ou ultrassonografia para avaliar outros problemas de saúde.

5. Não existe remédio para combater a gordura no fígado.

Verdade. Geralmente, não são utilizados medicamentos específicos para combater esse problema, e seu tratamento é feito com alterações na dieta, prática regular de atividades físicas, eliminação do consumo de álcool, perda de peso e controle de doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto.

6. Tenho gordura no fígado, então não posso engravidar.

Mentira. É possível a gravidez, entretanto, deve ser planejada e acompanhada pelo médico gastro ou hepatologista. No grau mais leve, a gordura no fígado normalmente não atrapalha a gravidez, desde que a mulher siga uma alimentação balanceada.

Entretanto, podem haver restrições a depender do grau da doença e da existência de outros problemas de saúde, como excesso de peso, hipertensão arterial e colesterol alto, sendo necessário conversar com o médico para tratar a doença e diminuir o risco de complicações neste período.

Além disso, é possível desenvolver a esteatose hepática aguda durante a gravidez, uma situação grave, e que deve ser tratada rapidamente. Veja mais aqui.

7. Crianças podem ter gordura no fígado?

Sim, principalmente crianças que têm obesidade e diabetes ou elevado risco de desenvolver diabetes, pois o excesso de peso e de açúcar no sangue causam alterações no metabolismo que favorecem o acúmulo de gordura no fígado.

A parte principal do tratamento é a alimentação.


Fonte:
https://www.tuasaude.com/esteatose-hepatica-nao-alcoolica/

FIQUE POR DENTRO DE TUDO

Acompanhe pelas redes sociais também tudo o que acontece aqui!