Sociedade Brasileira de Cardiologia muda indicadores de colesterol

Mudança tem como intuito tornar mais rígidas as taxas relacionadas ao colesterol ruim

As principais mudanças estão relacionadas ao colesterol ruim, o LDL, que em níveis elevados pode ocasionar doenças coronarianas e aterosclerose. De acordo com o diretor científico da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Raul Dias dos Santos Filho, pessoas que já tiveram algum tipo evento mais grave, como infarto ou derrame precisam manter os níves de colesterol abaixo de 50 miligramas por decilitro de sangue. Anteriormente, a taxa era de 70 mg/dl sangue.

"De 2013 para cá houve a publicação de dois novos estudos clínicos que mostraram que, ao baixar os números do colesterol, ou seja, realizar um tratamento mais agressivo que resulte em números menores de LDL, os indivíduos podem ganhar de 15 a 20 anos a mais de vida", alerta o especialista.

Para pacientes com risco intermediário, o ideal é que os números do LDL estejam abaixo de 100 miligramas por decilitro de sangue. Os indivíduos de risco baixo devem permanecer com os níveis de colesterol abaixo de 130 mg/dl sangue,

Com essa mudança, o Brasil passa a ser o País mais rígido em indicadores de colesterol. No entanto, Raul explica que a decisão de mudar as taxas de colesterol é um movimento que vem sendo realizado pelas principais associações médicas de doenças cardiovasculares do mundo. Isso porque o excesso de gordura no sangue é um grande fator de risco para eventos como doenças coronarianas e aterosclerose.

"Nosso principal objetivo é enfatizar a importância da adesão ao tratamento contra o colesterol, pois, quando é aliado a hábitos saudáveis, pode contribuir significativamente para uma qualidade de vida melhor", encerra o diretor científico da Sociedade Brasileira de Cardiologia.


Fonte:
http://www.minhavida.com.br/saude/noticias/31581-sociedade-brasileira-de-cardiologia-muda-indicadores-de-colesterol

FIQUE POR DENTRO DE TUDO

Acompanhe pelas redes sociais também tudo o que acontece aqui!