Notícias

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Diabetes e Covid-19: qual a relação entre os dois?

Ao longo da pandemia do novo coronavírus, os médicos observaram que certos pacientes têm um risco maior de sofrer mais complicações graves ou, até mesmo, morrer pela doença. Estes pacientes fazem parte do grupo de risco da Covid-19, que é composto por idosos, pessoas com doenças crônicas, hipertensão, pacientes com câncer, entre outros.

O diabetes é uma doença crônica, que segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, atinge quase 7% da população brasileira, acometendo cerca de 13 milhões de pessoas. Quando as pessoas com essa condição desenvolvem qualquer tipo de infecção viral, pode ser mais difícil de tratá-la em comparação com alguém saudável, devido às flutuações que ocorrem nos níveis de glicose no sangue.

É importante ressaltar que os diabéticos têm o mesmo risco de contrair a Covid-19 do que não-diabéticos, contudo o risco da doença se manifestar de forma mais grave é maior. Isso ocorre pelo excesso de glicose no sangue e a tendência do organismo à inflamação, duas condições que impedem que o sistema imunológico responda adequadamente a infecções por vírus e bactérias. Mas a probabilidade de sofrer essas complicações é menor quando a glicemia está bem controlada!

Com a hiperglicemia crônica, o sistema imunológico do diabético sofre alterações, levando a um aumento exagerado da reatividade do sistema imunológico, aumentando as chances de ocorrerem complicações pulmonares; um estado de hipercoagulabilidade, aumentando as chances de tromboembolismos; um desequilíbrio metabólico, reduzindo a resposta imunológica.

Além disso, revelou-se que o Diabetes Tipo 2 pode ser mais mortal, já que os pacientes com essa condição têm 2,5 vezes mais probabilidade de morrer em sete dias de internação do que aqueles com outros tipos de diabetes. Isso pode ser explicado pelo fato de que os diabéticos tipo 2 normalmente são pessoas mais velhas, que acompanham outras condições de saúde graves, como a doença renal crônica. Por esse motivo, é necessário um controle adequado do diabetes, bem como manter rigorosamente as recomendações sanitárias estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Com um acompanhamento mais rigoroso da doença, com o controle das taxas glicêmicas e o cumprimento do tratamento adequado, é possível diminuir os riscos de complicações severas da Covid-19!