Por que a hipertensão é considerada uma epidemia silenciosa e qual a sua relação com a obesidade?

Não é segredo para ninguém que a obesidade pode trazer diversos riscos para a saúde de qualquer indivíduo. No caso da hipertensão, vale ressaltar que estas são doenças crônicas profundamente ligadas e que contam com causas em comum, como o aumento da gordura corporal, seja pela má alimentação ou então pelo sedentarismo, entre outros motivos.

Hoje em dia, a hipertensão arterial representa uma verdadeira epidemia atingindo boa parte da população mundial, sendo o seu controle diversificado de país para país. A hipertensão arterial é uma doença que não tem cura e se manifesta de maneira silenciosa. Ela pode afetar crianças, adultos e idosos de todos os sexos.

De acordo com números da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), uma a cada cinco pessoas são vítimas dela e a estimativa é que 80% da população apresentem o problema até o ano de 2025.

O que muitos desconhecem é a pressão alta gera outras consequências graves e muitas vezes irreversíveis, como é o caso das doenças cardiovasculares, acidentes vasculares e até insuficiência renal. Afinal, a pressão alta é responsável por 35% dos casos da doença renal crônica e o mais preocupante é que pessoas afetadas por ela geralmente não sentem nada no início do problema.

Obesidade e a hipertensão

Na prática, a obesidade e a pressão alta contam com características em comum como é o caso de suas causas, que estão relacionadas com diversos fatores em comum. Podemos separar esses fatores em dois grupos: os que não podemos controlar e aqueles que podemos.

Entre os que não podemos controlar está, principalmente, a idade que consequentemente quanto maior, maior o aumento da pressão arterial. Além disso, a genética também pode assumir um papel importante sendo o histórico familiar uma causa comum de pressão alta em diversos casos.

No entanto, entre os fatores que são controláveis estão os maiores perigos. Sedentarismo, consumo excessivo de álcool e também de alimentos hipercalóricos podem ser peças-chave do quebra cabeça. Tudo isso causam obesidade que poderá se desenvolver para um quadro de hipertensão.

Outro fator que aumenta o risco de pressão alta, são as modificações hormonais causadas pelo sobrepeso. É o caso do aumento da insulina e a maior retenção de sódio pelos rins.

A busca por qualidade de vida

Obesidade e hipertensão estão interligados e representam problemas públicos de saúde. No caso da primeira, o CPclin possui duas pesquisas abertas sobre o tema que busca oferecer mais qualidade de vida para pessoas afetadas pela obesidade. Ficou interessado(a) e quer saber mais? Clique aqui! Quando não tratada adequadamente, a hipertensão arterial pode causar prejuízos severos à qualidade de vida das pessoas. Pensando nisso, o CPclin também está com uma pesquisa ativa para pessoas que tenham sido diagnosticadas com hipertensão arterial. Clique aqui, confira os critérios de participação e se inscreva!

Aproveite para acompanhar nossas redes sociais e ficar por dentro de tudo que acontece no setor da pesquisa clínica.

Deixe um comentário