Por que a Espondilite Anquilosante afeta cada vez mais jovens?

Muitos costumam associar o reumatismo com pessoas idosas. Entretanto, o reumatismo pode se manifestar em qualquer faixa etária. Algumas doenças reumáticas afetam mais os idosos, já outras se desenvolvem mais em jovens.

É o caso da Espondilite Anquilosante (EA), uma doença autoimune e inflamatória que afeta a coluna, causando dor e rigidez nas costas. Ela pode afetar pessoas de qualquer idade, mas atinge principalmente os jovens do sexo masculino na faixa etária de 20 a 40 anos. É menos comum em mulheres, cujos sintomas costumam ser mais leves e difíceis de diagnosticar.

Mas por que os jovens são os mais afetados? Não há uma resposta exata para essa pergunta, mas como a EA é uma doença de origem reumática, existem alguns fatores de risco para a sua manifestação, sendo que os principais são o sedentarismo, obesidade, alimentação irregular, tabagismo e alcoolismo. Fatores psicológicos e emocionais, como a ansiedade e o estresse, também podem aumentar as chances de acometimento por alguma doença reumática.

Embora a causa da Espondilite Anquilosante seja desconhecida, acredita-se que a interação complexa entre fatores genéticos, ambientais, como o tabagismo, contribuem para o seu aparecimento. Como grande parte da população mais jovem costuma ter um estilo de vida não saudável, com o consumo em excesso de bebidas alcoólicas e a alimentação inadequada, isso pode acabar contribuindo para uma maior prevalência dessa doença nos mais jovens.

Dor articular, dor lombar e outros sintomas podem representar os primeiros sintomas de doenças reumáticas também em jovens. A EA tem como principal sintoma, a dor nas costas na região lombar, conhecida como lombalgia. Essa dor se caracteriza pela melhora com o exercício e piora com o repouso e está associada a rigidez pela manhã, geralmente maior que 30 minutos. Outras vezes, os pacientes apresentam dor e inchaço nas articulações e tendões, bem como inflamação ocular.

Resumindo, algumas doenças reumáticas não escolhem idade, mas existem tratamentos eficientes que devem ser seguidos logo no início dos sintomas, já que podem evoluir com consequências bastante graves se não tratadas adequadamente. O retardo do diagnóstico da EA, por exemplo, pode levar à perda de mobilidade na bacia e na coluna vertebral. Desse modo, logo que sentir os primeiros sintomas característicos da doença, deve-se procurar um especialista para que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível!

Deixe um comentário