Você sabe por que o risco para doenças cardíacas é distinto em homens e mulheres?

É possível notar que os corpos femininos e masculinos possuem diversas diferenças, tanto no âmbito fisiológico como anatômicos e funcionais. Sendo assim, estas distinções biológicas se mostram presentes em diversos aspectos, perceptíveis ou não, tais como a estatura física, os pulmões, o cérebro, a estrutura musculoesquelética, o índice de massa corpórea e, como daremos foco aqui, o coração e os vasos sanguíneos.

Devido a isso, separamos algumas diferenças biológicas distintas entre homens e mulheres para que você conheça as particularidades de cada um, principalmente no risco de doenças cardíacas.

Primeiro, é importante dizer que o coração da mulher é ligeiramente menor do que o do homem, assim como o peso do órgão e a quantidade de sangue que ele ejeta, uma vez que a superfície corpórea feminina também costuma ser menor. Esse fator acaba influenciando nos batimentos, pois bombeia menos volume de sangue por minuto, deixando por tanto a frequências cardíacas médias das mulheres mais aceleradas.

Além disso, as artérias coronárias femininas são mais estreitas e, por influência de hormônios característicos das mulheres, a pressão arterial é mais baixa, podendo chegar a ser semelhante a do homem apenas na menopausa. Inclusive, na menopausa, as mulheres também estão mais sujeitas a uma súbita e incomum mudança na forma do músculo cardíaco, a chamada cardiomiopatia de Takotsubo ou “síndrome do coração partido”, que ocorre em resposta a um forte estresse emocional.

O mais importante a relevar, é que em quesitos de infarto de modo mais generalizado, o ataque é mais frequente em homens a partir dos 55 anos e nas mulheres após 65. No entanto, estimativas apontam que a probabilidade de uma mulher morrer de infarto é 50% maior quando comparada aos homens. Isso ocorre, pois como citado antes, as artérias femininas são menores, o que aumenta a probabilidade do aumento das placas de colesterol, fatores hormonais e muitas vezes o aumento da pressão arterial.

De qualquer forma, tanto para homens quanto para mulheres as doenças cardiovasculares merecem muita atenção e cuidado. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, elas são as principais causas de mortes, atingindo aproximadamente 30% do total!

No CPclin disponibilizamos de um estudo sobre Diabetes Tipo 2 e Eventos Cardíacos, para participar basta acessar este link!

Deixe um comentário

Scroll Up